Triumph Street Triple estará disponível á partir de junho/2013 !!!


 

Naked, renovada para 2013, será lançada na próxima semana

     Desde novembro, quando chegou oficialmente ao Brasil, a Triumph havia confirmado que os modelos 2013 de suas motos de média cilindrada equipadas com o motor de três cilindros em linha e 675 cm³ viriam para o Brasil. Tanto a naked Street Triple quanto a Daytona 675, reformuladas para 2013, seriam montadas no Brasil.

     A Triumph anunciou que o novo modelo da Street Triple, que será montado na fábrica da marca pelo sistema CKD em Manaus, estará disponível no País a partir de junho (o lançamento oficial para a imprensa brasileira vai acontecer na próxima semana). Mas isso não é novidade, a “boa” notícia é que a Street Triple já está no Brasil e seu preço deve ser para lá de competitivo. Segundo algumas fontes, a naked Street Triple deverá custar menos de R$ 33.000.

     No Reino Unido, a Triumph Street Triple está disponível em três diferentes cores metálicas: preto, branco e azul. A subsidiária brasileira ainda não informou quais cores irão desembarcar por aqui e nem o preço público sugerido. Mas caso o teto de R$ 33.000 seja mantido, a naked inglesa vai incomodar suas concorrentes como a Honda CB 600 F Hornet (R$ 34.990,00 com C-ABS) e a BMW F 800 R (R$ 36.900,00 com ABS de série).

Nova para 2013

Escapamento curto é uma das novidades para este ano

     Quando foi lançada em 2007, a Triumph Street Triple causou um alvoroço na categoria naked com seu visual “street fighter”. A combinação do estilo e atitude de sua irmã maior, a Speed Triple 1050, com a agilidade da Daytona 675, transformou-a num desejo de consumo de muitos motociclistas. No Brasil,o segmento naked, de motocicletas “peladas”, sem as carenagens, é bastante popular. Proprietários de modelos como a Honda CB 300R, a Dafra Next 250 e a Yamaha YS 250 Fazer sonham em dar um “upgrade” e pular para a categoria das 600cc.

     Para 2013, a marca inglesa atualizou sua naked de média cilindrada, a Street Triple. A mudança mais perceptiva entre a nova e a antiga versão foi a substituição da dupla ponteira de escape, que ficava embaixo do banco, por uma de única saída, na lateral direita da motocicleta. Além de deixá-la mais bonita, o novo sistema mais compacto não só reduziu o peso da moto, como também centralizou a massa e baixou o centro de gravidade. Indícios de que sua já elogiada ciclística pode ter ficado ainda melhor.

Motor e equipamentos

Tricilíndrico produz 105 cavalos de potência máxima

     O coração da Street Triple não foi modificado. Continua o mesmo tricilíndrico DOHC de 675cc, 12 válvulas e arrefecimento líquido, semelhante ao que equipa a Daytona 675. Este propulsor é capaz de gerar 105 cavalos de potência a 11.850 rpm e 6,9 kgf.m de torque a 9.750 rpm. Diferente de sua “prima” superesportiva, o motor e a caixa de câmbio de seis marchas da Street Triple foram ajustados para ter um melhor desempenho em baixas e médias rotações, características de uma moto urbana.

     Opção de entrada na categoria naked da Triumph, a nova Street Triple carrega alguns equipamentos eletrônicos de série, como o sistema de segurança que imobiliza o motor. O painel de instrumentos em LCD inclui cronômetro de volta, luz de troca de marcha programável, medidor de combustível, relógio, indicador de marcha engatada, assim como um grande conta-giros e velocímetro digital.

Ciclística

     As principais novidades ficam por conta do chassi da Street Triple, totalmente redesenhado para este ano. Agora é de dupla trave de alumínio com um subquadro fundido em alta pressão construído em duas peças. O conjunto fica mais leve por ter menos soldas – são 183 kg em ordem de marcha, seis quilos a menos que o modelo anterior.

     Juntamente com o chassi mais leve, o novo escapamento 3 em 1 feito em aço inoxidável foi realocado. O fato contribuiu para a redistribuição do centro de gravidade, graças a esse reposicionamento do sistema de exaustão.

     No quesito suspensões, melhorias bem vindas. Na dianteira, a nova Street Triple vem equipada com garfos telescópicos invertidos da KYB (antiga Kayaba) com 41 mm de diâmetro e 110 mm de curso. A suspensão traseira é composta por monoamortecedor com 125 mm de curso. O trabalho de frear essa máquina é feito por discos duplos dianteiros de 310 mm de diâmetro, mordidos por pinças deslizantes Nissin de dois pistões e disco simples de 220 mm com pinça Brembo de um pistão. Segundo a Triumph, há uma versão disponível com freios ABS desligável. Muito provavelmente a versão que deverá vir ao Brasil.

Por: Arthur Caldeira  –  http://infomoto.blogosfera.uol.com.br/

A cor branca já está confirmada para o Brasil

 

Equipe: MotosBR

Deixe um comentário

Arquivado em TRIUMPH

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s