Yamaha Fazer 250 Turbo – 2008


Turbocompressor aumenta em 30% a potência da Yamaha Fazer 250. A moto supera os 160 km/h, mas o preparador quer chegar aos 200 km/h

fazer-turbo-abre.jpg

 

Pfshiiiiiiii! O barulho de uma válvula de alívio de turbo é inconfundível e todo mundo quer saber o que está acontecendo. Mas, quando este “apito” vem de uma moto e ainda por cima uma 250cc… aí é de parar o trânsito e assustar muito dono de motos de 500 cc! Foi exatamente esta a intenção do preparador paulista Daniel Folego, que acaba de criar um kit turbo para a Yamaha YS 250 Fazer. O bom resultado vem de um enigmático sistema.

A escolha da Fazer foi em função da injeção eletrônica, que facilita muito a alimentação extra, necessária ao motor turbinado (leia “Mistura comprimida”). Além disso, a Honda Twister – também de 250 cc – teve de ser descartada devido ao carburador a vácuo, que não funciona bem com turbo. Além disso, a injeção eletrônica da Yamaha Fazer facilita a produção de um kit fácil de instalar: basta acrescentar um bico injetor suplementar e usar uma bomba de combustível externa.

Para chegar a um produto simples de comercializar e instalar, Daniel avaliou várias turbinas da marca KKK, até encontrar bom compromisso entre desempenho e custo. No teste de DUAS RODAS, usamos dois modelos de turbina, ajudando a chegar a uma conclusão definitiva sobre qual seria mais indicada para a venda do kit. O comportamento da moto mudava bastante com a troca de turbinas.

O motor da Fazer manteve-se original e o kit turbo compreende: turbina, bomba elétrica, válvula de alívio, todas as mangueiras (aeroquip), instrumentos do painel (pressão do turbo, pressão de combustível e hall meter, para medir a mistura), escape e bico suplementar. Na moto avaliada, o motor foi convertido para álcool o que é recomendável pelo preparador. O kit vai custar entre R$ 1.500 e R$ 2.000, dependendo do tipo de turbina. Além disso, Daniel também fez pequenos detalhes estéticos para deixar o visual da Fazer mais esportivo, o que não será incluído no kit.

fazer-turbo-alivio.jpg

Na pista

A idéia original foi criar um kit para ser instalado e retirado sem alterar muito o motor original, o que de certa forma limitou o desempenho. Nesta configuração do turbo, o aumento de potência é de cerca de 30%, o que levaria a potência original de 21 cv para 28 cv. O ideal seria trocar o módulo de injeção para conseguir atrasar o ponto de ignição, o que facilitaria elevar a rotação máxima de 10.500 rpm para 11.500 rpm. Com a ignição original, a Fazer turbo chegou a 160 km/h em quinta, mas a ignição corta a 10.500 rpm. Pelos nossos cálculos, se conseguisse apenas mais 800 rpm e com uma relação final de transmissão ligeiramente mais longa a Fazer Turbo chegaria a 180 km/h sem dificuldade. Mas o projeto do Daniel é mais ambicioso: atingir 200 km/h com uma 250cc!!!

Finalmente chegou o momento de acelerar pra valer na pista do ECPA em Piracicaba (SP) “nossa” pista de testes perfeita por simular várias condições de desempenho.

Tiro nas costas

A primeira experiência foi com uma turbina KKK P3, com um sonoro assobio da válvula de alívio a cada desaceleração. Com essa turbina, o funcionamento do motor ficou suave com um crescimento de potência mais linear. Depois instalamos uma turbina maior e Daniel deu mais pressão no turbo. Uau! O resultado foi surpreendente: a retomada de velocidade fica bem mais esperta, principalmente depois dos 9.000 rpm quando era nítido o “tiro” nas costas. Como já tinha pilotado uma Fazer 250 original naquela pista, tentei fazer a mesma curva de mão cravada no fundo e quase saí voando morro abaixo, porque a Fazer Turbo chegou bem mais rápida.

Fizemos algumas simulações de arrancada e a Fazer Turbo vai ser páreo duro para as CB 500 e GS 500! Daniel sempre quis criar uma 250 que pudesse acompanhar as 500, porque ele tem uma especial admiração por motos menores, “minha maior moto foi uma Honda Falcon 400”, explica. E ainda revela que tem duas Yamaha RD 135, sendo que uma delas já foi cronometrada a 190 km/h!

Em termos de consumo, se o piloto mantiver um ritmo estradeiro entre 110 e 120 km/h o consumo aumenta cerca de 20%, abaixo do ganho de potência. Mas, o motor é movido a álcool e assim o gasto com combustível no turbo fica menor que no motor a gasolina original!

fazer-turbo-turbina.jpg

Um ponto a ser trabalhado é a localização da turbina. Segundo Daniel, como o kit não deve interferir muito na moto original, a turbina fica muito exposta. Numa instalação definitiva, daria para fazer um sistema mais embutido, embora o espaço entre o motor e a roda dianteira seja limitado. Apesar do kit já estar bem desenvolvido, Daniel ainda não tem previsão de quando será colocado à venda.

fazer-turbo-painel.jpg

Mistura comprimida

O turbocompressor é um sistema mecânico que gera a super alimentação de ar para o motor. Em resumo, trata-se de uma ventoinha movimentada pelos gases do escapamento que “empurram” mais ar para a alimentação. Como uma maior quantidade entra no motor, é preciso compensar aumentando também a vazão de combustível (álcool, no caso desta Fazer). Por isso Daniel Folego instalou um bico injetor adicional de um carro nacional. Com a maior quantidade de mistura ar/combustível chegando ao motor, a potência gerada pela queima dessa mistura adicional funciona como “vitamina” e o desempenho geral pode aumentar em até 30%. Para completar o sistema o ideal seria também alterar o ponto de ignição de forma “atrasar” a ignição, queimando melhor a mistura e evitando “batidas de pino”. Esse será o próximo passo que o Daniel quer desenvolver: um módulo de injeção que consiga melhorar a queima da mistura. Graças à eletrônica, essa alteração poderia ser feita no módulo original. Outra opção seria fazer uma nova central eletrônica, fornecida separadamente.

Quer durar quanto?

Uma decisão vital para quem prepara um motor com turbo é a pressão que será usada na turbina. Quanto maior for, maior também será o ganho de potência. E numa relação inversamente proporcional, menor será a durabilidade do motor. Há quem use pressão de até 0,3 kg para comprometer minimamente a durabilidade (caso dos turbos de fábrica), assim como preparadores que já visam competições e não estão muito preocupados com a vida útil do motor passam facilmente de 1 kg.

Dentro da Lei

Uma informação importante: Daniel recomenda fazer a alteração no documento original da moto, para acrescentar o turbo e o combustível a álcool. Se a Polícia der uma daquelas famosas “intimadas” a Fazer Turbo pode terminar seus dias num sujo pátio do Detran.

Fonte: http://www.revistaduasrodas.com.br

FOLEGO TURBO
Rua Marechal Barbacena,93 – Tatuapé – SP
Fone: (11) 2604-6695
Nextel : ID 55 1*31971

Equipe: MotosBR

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em YAMAHA

6 Respostas para “Yamaha Fazer 250 Turbo – 2008

  1. iraquitan carlos

    isso ai è demas cara

  2. Anderson

    pow eu quero esse kit na minha fazer como faço

  3. ricardo

    gostaria de adiquirir esse kit, a onde posso encontrar???

  4. erlana lucas

    ola gotaria de saber como e faço pra adquiri esse kit

  5. erlana lucas

    ONDE POSSO COMPRA ESSE KIT

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s