História – DUCATI


 

As motocicletas italianas da DUCATI são há muito tempo conhecidas por sua excelência em design e desempenho. Desde sua fundação essas obras-primas sob duas rodas se consolidaram, seja nas competições que a marca participa, seja no mercado mundial de motocicletas. Pilotar uma DUCATI significa para o motociclista apaixonado o mesmo que guiar uma Ferrari para o fã de carros. Para a marca italiana, sua alma e espírito vão muito além da fabricação de motocicletas. A DUCATI fabrica emoções.

A história

A origem da tradicional marca italiana começou em 1926 quando os irmãos Ducati (Bruno, Adriano e Marcello) e outro investidor da cidade de Bologna, fundaram a Societa Scientifica Radio Brevetti Ducati (Sociedade Científica de Rádio Brevetti Ducati). O alvo inicial da nova empresa era a produção de componentes industriais para o crescente mercado das transmissões de rádio, baseado em patentes de Adriano Ducati. O primeiro produto a ser fabricado pela empresa foi o condensador de Manens para rádio, seguido rapidamente por outros componentes. Nos anos seguintes os produtos se tornaram um sucesso permitindo assim que a empresa se expandisse e ganhasse o respeito da comunidade industrial internacional.

Quase uma década mais tarde, no dia 1 de junho de 1935 foi colocada a pedra fundamental da fábrica em Borgo Panigale. O novo complexo era um projeto extremamente moderno e ambicioso, com o objetivo de estabelecer um centro industrial e tecnológico em Bologna. Durante este período, a DUCATI se desenvolveu no exterior abrindo vários escritórios e filiais em cidades como Londres, Paris, Nova York, Sydney e Caracas, garantindo assim serviço e assistência diretos a seus clientes em todos os principais mercados mundiais. A Segunda Guerra Mundial foi extremamente difícil para a empresa: a fábrica de Borgo Panigale foi completamente destruída por bombardeios em 1944. Felizmente, os irmãos Ducati passaram a guerra estudando e planejando novos produtos a serem introduzidos nos mercados mundiais no final do conflito.


Em 1946, a empresa criou o Cucciolo, um pequeno motor auxiliar para bicicletas. Inicialmente vendido em um kit para montagem a ser instalado em uma bicicleta, logo adquiriu um quadro próprio. Em pouco tempo, o Cucciolo se tornou uma verdadeira motocicleta em miniatura.

Graças ao sucesso do Cucciolo, e de seus descendentes, a DUCATI se afirmou como uma marca registrada no setor mecânico. A partir deste momento, a empresa começaria a se transformar. Em 1950, foi fundada a divisão para a produção de motocicleta, e a marca DUCATI passaria a fazer parte do mundo do motociclismo. Produzindo motos de poucas cilindradas, o primeiro produto da marca foi o futurístico Cruiser de 175 cm3, com partida elétrica e transmissão automática, lançado no mercado em 1952.

No ano seguinte a DUCATI revelou ao mundo uma pequena, econômica e espartana motocicleta de 98 cm3, que logo teve sua potência elevada para 125 cm3. Neste ano a empresa foi dividida em duas: Ducati Elettronica S.p.A. (produtos eletrônicos) e Ducati Meccanica S.p.A. (fabricante de motocicletas).

Pouco depois, em 1954, um homem destinado a se tornar um mito no mundo das motocicletas chegou a empresa: o engenheiro Fabio Taglioni, que já havia construído motocicletas de caráter técnico original e performance impressionante. O desenho de Taglioni, avant-garde e não-conformista, teve seu batismo nas corridas. Desde sua estréia na DUCATI, o engenheiro tentou demonstrar a qualidade de suas soluções, participando em corridas de longa distância, como a Milano-Taranto e Giro d’Italia.

No final de 1956, a produção da DUCATI incluía também a motocicleta 4-T Tourist 174 e modelos Special e Sport, capazes de performances consideráveis (110, 120 e 135 km/h, respectivamente). No ano seguinte, esses modelos foram apresentados oficialmente ao público no Salão de Milão, juntamente com o modelo “America”. Durante o ano de 1958, a DUCATI também produziu a “Elite”, uma motocicleta de 250 cm3.

Este ano também foi marcado pelo triunfo do sistema desmodrômico, que estava sendo desenvolvido pelo engenheiro Taglioni desde 1955. Este projeto resultou no famoso motor bicilíndrico de 250 cm3 de 1960, encomendado junto a empresa italiana pelo famoso piloto inglês, Mike Hailwoodä, que havia pedido especificamente por uma máquina de desempenho “superior”.


Em 1964, o modelo de 250 cm3 foi adicionado ao rol dos monocilíndricos comerciais, nos modelos Diana, Monza, Aurea, e mais tarde, nos modelos de GP, capazes de atingir aproximadamente 150 km/h – um desempenho realmente excepcional para a época. Estes modelos diretamente influenciaram todos os monocilíndricos subseqüentes até as famosas Scramblers de 250, 350 e 450 cm3.

O fim da década de 60 coincidiu com o boom das chamadas “maxibikes”. Mais uma vez Taglioni deu a DUCATI uma motocicleta poderosa e vencedora. Em 23 de abril de 1972, a marca italiana voltou às corridas, participando das 200 Milhas de Ímola, com uma nova motocicleta bicilíndrica desmodrômica de 750 cm3, pilotada pelas mãos de Paul Smart e Bruno Spaggiari – que terminaram a corrida em primeiro e segundo lugares, respectivamente.

A excepcional 750 Supersport foi concebida e desenvolvida em resposta a esta corrida espetacular.

Em 1978, Mike Hailwoodä, que tinha crescido em sua carreira juntamente com as monocilíndricas da DUCATI, voltou a competir no Tourist Trophy The Isle of Man, impressionando o público e fãs com sua vitória da Fórmula 1 TT na mítica montanha. A motocicleta era uma Supersport elevada a 900 cm3.

Em reconhecimento ao seu esforço excepcional,
a DUCATI criou a esplêndida 900 SS Mike Hailwoodä Replica, em edição limitada. O sucesso desse modelo estabeleceu definitivamente a marca italiana como sinônimo de beleza, resistência e velocidade. Em 1983, a DUCATI foi comprada por Claudio e Gianfranco Castiglioni e se tornou parte do Grupo Cagiva. Com este gerenciamento, o grupo estava nas mãos de dois grandes fãs de motocicletas e corridas, que juntos levaram a DUCATI aos triunfos da era da Superbike.

A aventura começou em 1988 com Marco Lucchinelli em sua incrível 851, construída pelo engenheiro Massimo Bordi. Sob o gerenciamento dos irmãos Castiglioni, a marca expandiu sua fatia do mercado de motocicletas, introduzindo novos modelos, aumentando o suprimento de motocicletas para grandes deslocamentos, e intensificando o comprometimento da empresa com as corridas.


A grande tradição esportiva da DUCATI continuou nos anos seguintes com o nascimento do modelo 916 em 1994. Mais uma vez, foi uma revolução inspirada pela DUCATI, desta vez na categoria das motos esportivas de alto desempenho. Com este modelo, tecnologia e estilo, desempenho e simetria alcançaram níveis máximos. A DUCATI mais uma vez conseguiu criar uma harmonia perfeita entre forma e função, lógica e emoção.

Das revistas especializadas em motocicletas de maior prestígio, a 916 recebeu o título “Motocicleta do Ano”. Em 1995, apesar da inovação de seus produtos e dos sucessos em competições, a empresa entrou em uma profunda crise financeira. Seu caixa era literalmente dragado pelas aventuras mal-sucedidas de suas empresas irmãs dentro do grupo Castiglioni.

No ano seguinte, o Texas Pacific Group, uma firma de investimentos americana, assumiu a DUCATI, e trouxe o capital necessário, juntamente com um novo grupo de gerentes internacionais. Simultaneamente, o lançamento da família ST permitiu a marca italiana entrar no segmento de Sport Touring.

O novo time de gerenciamento, junto com o antigo grupo de engenheiros responsável pelo desenvolvimento de produtos, realizou uma reviravolta na empresa, conseguindo recordes de vendas e lucros a cada trimestre. O grande sucesso do período foi a Monster Dark, a motocicleta mais vendida na Itália em 1998 e 1999.

A DUCATI começou a deixar de ser uma fabricante de motocicletas apenas para se tornar também uma empresa de entretenimento, trazendo uma experiência de motociclismo completa, centrada na excelência técnica de suas motocicletas, mas também se estendendo para corridas, história e acessórios.

O primeiro World Ducati Weekend mostrou este novo interesse da Comunidade Ducati, reunindo 10.000 fãs e proprietários do mundo todo em Misano. A era de transformação da empresa atingiu seu ápice no dia 24 de março de 1999, com a entrada da Ducati Motor Holding da bolsa de valores de Nova York e Milão.

A MH900e foi a primeira motocicleta a ser vendida exclusivamente pela Internet. Apenas algumas semanas após a virada do milênio, 2.000 clientes já tinham reservado a nova motocicleta projetada por Pierre Terblanche. Em 2001, com uma grande vitória dupla em Assen, Troy Bayliss conquista o Campeonato Mundial de Superbike de para a DUCATI, justamente no aniversário de 75 anos de fundação da marca.

O ano de 2001 também será lembrado pelas mortes de Bruno Cavalieri Ducati, o ultimo dos três irmãos que fundou a empresa, e de Fabio Taglioni, conhecido como Doctor T, pai do motor bicilíndrico em 90°: a base e ainda a marca registrada das motocicletas DUCATI.

A linha do tempo
1964
● Lançamento da DUCATI Mach 250, capaz de superar 150 km/h, e que conquistou o coração de fãs de esportes pelo mundo todo.
1968
● Lançamento da DUCATI 450 Mark 3D, primeira motocicleta da montadora de série com distribuição desmodrômica, capaz de atingir mais de 170 km/h. Este modelo encantou os aficionados com seu desempenho fabuloso.
1993
● Lançamento da DUCATI MONSTER, uma motocicleta foi despida de tudo que não fosse essencial. Era uma interpretação singular da categoria de “fun bikes”, e rapidamente se tornou uma lenda.
1999
● Realização da primeira edição do World Ducati Week, um encontro anual entre os fãs, proprietários e apreciadores da marca italiana.
2000
● Lançamento da DUCATI MULTISTRADA, nascendo assim uma nova geração de motocicletas esportivas.
2003
● Lançamento da DUCATI 999, herdeira da imortal DUCATI 996, e novo ponto de referência para pilotos ultra-esportivos pela próxima década. O sucesso da nova motocicleta é confirmado pela conquista de um dos maiores prêmios do mundo do motociclismo: a 999 foi considerada a “Moto do Ano” pela revista British Motorcycle News.
2007
● Lançamento da DUCATI 1098, primeira superbike da marca italiana a superar os quatro dígitos de capacidade no tradicional motor de dois cilindros em L (um V2 a 90°). A 1098 tem a alma de uma motocicleta de corrida, pura e simples. A posição de pilotagem encoraja o piloto a se moldar nas linhas perfeitas do tanque e assento: homem e máquina se tornam um. O modelo apresentou um grande número de “inovações”: primeira a ter o incrível poder de frenagem do sistema de freios Brembo, a primeira a ter um sistema de aquisição de dados integrado como um equipamento de fábrica, e a primeira a utilizar um método de construção engenhoso para sua balança mono-braço, a fim de reduzir o peso.
2008
● Lançamento da DUCATI STREETFIGHTER 1099, uma motocicleta puro-sangue sem carenagem que pesa apenas 167 quilos com 1099cc, distribuídos em um motor de 2 cilindros em V, que gera 155 cv de potência máxima.

A divisão de competição
A montadora italiana possui uma divisão específica para competições esportivas batizada de DUCATI CORSE. Atualmente o Ducati Marlboro Team é a equipa oficial da marca italiana no campeonato do mundo de MotoGP, formada pelos pilotos australiano Casey Stoner e o norte- americano Nicky Hayden. Na temporada 2009, ambos conduziram a nova Ducati Desmosedici GP9, que contava com um chassis em fibra de carbono e utilizava pneus Bridgestone. A Ducati tem apenas um campeonato do mundo de MotoGP, conquistado em 2007 por Casey Stoner. Com destaque para características exclusivas de motor, projeto i
novador, engenharia de ponta e excelência técnica, as motos DUCATI já ganharam 14 dos últimos 16 títulos do Campeonato Mundial Superbike.

O museu
O Museu da Ducati está instalado dentro da fábrica da marca italiana, na cidade de Bolonha, em uma área de cerca de mil metros quadrados. O Museu foi inaugurado no dia 12 de junho de 1998 e preserva meio século de história da marca. Através de uma exposição permanente, a DUCATI conta a história das corridas com suas respectivas representantes. A exposição ainda conta a trajetória da marca, desde seu surgimento, até novas concepções.

A evolução visual
Durante sua história a marca DUCATI teve vários logotipos, que ao longo dos anos foram passando por modificações, como o primeiro logotipo, onde aparecia escrito DUCATI MECANICA, utilizado até a década de 60; e o famoso “Flying logo.

Recentemente, em 2008, a DUCATI reformulou completamente sua identidade visual com a introdução de um novo logotipo, muito mais moderno e dinâmico, visando simplificar o sentimento esportivo traduzido pela marca e proporcionar um desenho mais atrativo.

 

Dados corporativos

● Origem: Itália
● Fundação: 1926
● Fundador: Bruno Ducati, Adriano Ducati e Marcello Ducati
● Sede mundial: Bologña, Itália
● Proprietário da marca: Ducati Motor Holding S.p.A.
● Capital aberto: Não
● Chairman: Giampiero Paoli
● CEO: Gabriele Del Torchio
● Faturamento: €403.2 milhões (2008)
● Lucro: €32.3 milhões (2008)
● Presença global: 60 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 1.172
● Segmento: Motociclista
● Principais produtos: Motocicletas esportivas
● Subsidiária: Ducati Corse (MotoGP e SBK Superbike racing)
● Website: www.ducati.com

A marca no mundo
Atualmente a DUCATI comercializa sua poderosa e veloz linha de motocicletas esportivas (incluindo Superbike, Monster, Streetfighter, Hypermotard, Multistrada e SportClassic) em mais de 60 países ao redor do mundo. Sua produção anual gira em torno de 45.000 unidades. A DUCATI também licencia sua marca que está estampada em vários acessórios que vão desde roupas, calçados e relógios a pen-drives.

Você sabia?
● Recentemente a DUCATI organizou a primeira escola de pilotagem para mulheres. Esse foi o primeiro passo no novo relacionamento da marca com o público feminino, baseado em uma nova compreensão de suas necessidades e exigências.

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

fonte: http://www.mundodasmarcas.blogspot.com

Equipe:MotosBR

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em HISTÓRIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s