Comparativo !!! Kawasaki ER6-F x Yamaha XJ6-F e Honda CBF600 SA


Image
O objetivo para este comparativo foi colocar frente a frente as mais recentes novidades no setor das utilitárias de média cilindrada:

a Kawasaki ER-6F e Yamaha XJ6 Diversion, com a já bem cimentada Honda CBF 600 SA. Aqui ficou faltando a Suzuki Bandit 650 S, indisponível para o teste, uma excelente moto, bem conhecida de todos e cujas características nos fazem ficar ainda mais desapontados por  não termos podido incluir neste teste.

Comecemos pelas duas recém-chegadas ao mercado:

Image

A Kawasaki é a moto que mais difere neste teste, apresentando-se com uma unidade bicilíndrica paralela de 649 cc. A ER-6f apresenta-se com uma presença  marcante, e uma excelente opção a baixo custo , para o mundo da carenadas, estilo “F” .

Image

Para os idólatras das linhas angulosas da nova geração de esportivas da Kawasaki, a ER-6f é a resposta perfeita, se procura uma moto com prestações mais contidas e mais utilizável no dia-a-dia. Se tivesse Ninja escrito em alguma das carenagens, tal como acontece com a 250 cc, passaria facilmente por uma esportiva. Mas não é essa a sua finalidade, já que sua proposta é uma utilitária.

 

Image

No caso da Yamaha estamos perante um modelo totalmente novo, que procura reeditar o sucesso das Diversion. Na categoria das utilitárias de média cilindrada a Yamaha apoiou-se, até ao ano passado, na Fazer, um modelo que não cumpria na totalidade o que era pretendido para este segmento, com um preço um pouco mais elevado e um motor de características demasiado esportivas.

 

Image

A nova Diversion vem oferecer aquilo que se procura num segmento de entrada, um bom equipamento, motor solícito e com prestações aceitáveis, uma estética jovem e, acima de tudo, um preço mais acessível. O motor tem por base a unidade da Fazer, das FZ6, mas a cabeça e alimentação foram profundamente revistas, para conseguir uma resposta mais linear ao longo de toda a faixa de utilização. A ciclística é simples e a estética muito equilibrada, com a pequena semi-carenagem e muito apelativa.

 

Image

Já com alguns anos no mercado europeu, a Honda CBF 600 SA, ganhou fama pelo seu motor muito suave e “redondo”, pelo seu nível de conforto e capacidade de enfrentar a estrada em viagem com dois ocupantes.

 

Image

Embora já com algum tempo entre nós, a Honda tem elementos que marcam a diferença, como o quadro em alumínio e o sistema de freios combinado e com ABS de série (nas outras duas só há ABS em opção), mas o seu preço fica um tanto desajustado face às adversárias. Mas vejamos o que cada uma é capaz em utilização.

Acessíveis e completas
Quando pilotamos estas três motos encontramos diferenças consideráveis, com dois modelos nos extremos no que respeita a dimensões. No que toca à altura do banco, todas elas são bastante baixas, como convém para motos que se destinam a uma utilização descontraída.
Contudo, dentre elas, a Kawasaki é claramente mais acessível. O seu motor bicilíndrico e o pouco volume de toda a moto, garante que esta seja muito estreita na zona do banco e tanque. Em oposição a Honda, ainda que com um banco baixo, é a mais volumosa de todas, mas também tem a vantagem de ter mais espaço para os ocupantes.

 

Kawasaki ER6f
Image Image
Image Image

 

A Yamaha é pequena como a Kawasaki, mas o seu motor de quatro cilindros ocupa mais espaço na área das pernas. No que à posição de pilotagem diz respeito, a Honda coloca-nos muito dentro da moto com um guidon muito alto em relação ao banco, com as pedaleiras bem colocadas a não obrigar as perna a ficarem muito dobradas. A Kawasaki é muito estreita na área do tanque, com uma curta distância entre o guidon e o banco e com uma boa altura face as pedaleiras. É excelente para pessoas de menor estatura. A Yamaha XJ6 Diversion, não diferindo muito da postura da Kawasaki, que nos coloca mais sobre a direção, é um pouco maior e acaba por ser a mais equilibrada de todas.

No que diz respeito à proteção aerodinâmica, esta é mais ampla na CBF, mas a posição mais direita coloca-nos pior posicionados para suportar o deslocamento de ar. A Kawasaki, embora tenha menos proteção, tem uma posição que nos permite encaixar melhor e a bolha é bem larga em cima, criando uma ampla cobertura. A Yamaha é mais estreita e baixa na frente e a que menos protege.

 

Yamaha XJ6 Diversion
Image Image
Image Image

 

Para quem tem no lugar de passageiro um ponto fundamental na escolha da sua nova moto, a solução não é difícil de encontrar, a Honda é a que oferece mais espaço para o passageiro, o banco mais amplo e as melhores alças para este se segurar. Entre a Kawasaki e a Yamaha a diferença é pouca, sendo ambas relativamente confortáveis. Entre elas a Kawasaki tem vantagem na posição, com a perna a ficarem menos curvadas, mas a Yamaha, mesmo com alças relativamente pequenas, ganha às da Kawasaki.

No que diz respeito á motorização , temos dois tipos de motores, de dois e quatro cilindros, que resultam em comportamentos bastante distintos. Entre a Honda e a Yamaha poucas diferenças encontramos, se bem que a primeira responda melhor até médios regimes.. Já a Yamaha, está muito melhor no baixos e médios regimes, quando comparada com as anteriores Fazer, respondendo sempre. Ainda assim, sente-se alguma prisão até serem levadas a 7.000 rpm, em especial quando se compara com o solícito bicilíndrico ou o redondo motor da Honda. Passada esta fase o motor da Yamaha tem uma alegria contagiante. Muda o tom de escape, quase como uma esportiva, e só começa a dar mostras de querer outra relação de caixa já quase a aflorar os 11.000 rpm.

 

Honda CBF 600
Image Image
Image Image

 

A Honda apresenta umas suspensões mais secas no comportamento, não são desconfortáveis porque apresentam alguma maciez, mas não trabalham tão bem como as duas restantes. Entre a Kawasaki e a Yamaha temos dois produtos diferentes, a ER6f apresenta uma drenagem mais firme, com um maior controle dos movimentos, enquanto que as suspensões da Yamaha são mais macias, não dando uma sensação  tão perfeita nem o mesmo nível de informação. Contudo, estas têm a vantagem de trabalhar melhor, mantendo sempre um excelente controle mesmo em pisos em pior estado.

 

Image

Conclusão

No final do comparativo, fica claro que as duas novidades chegaram para marcar novos patamares de exigência, e nem o excelente sistema de frenagem da Honda justifica a diferença de preço existente para as outras duas. Entre elas a Kawasaki apresenta-se uma escolha muito equilibrada, com um motor muito elástico, dimensões perfeitas para quem anda muito em cidade e uma excelente protecção aerodinâmica tendo em conta o tamanho da sua carenagem. A Yamaha parece ter sido uma moto desenhada para o mercado nacional. Oferece excelentes acelerações, um comportamento de ciclística excelente e uma grande agilidade, com um motor de quatro cilindros moderno e um preço difícil de igualar.

Lembrando que o modelo da Honda,a CBF 600, não está disponível no Brasil !!!

Ficha técnica:
clique para ampliar
Image

Dados do teste:
clique para ampliar
Image

Texto: Marcos Leal
fonte:
http://www.motociclismo.pt

Equipe: MotosBR

About these ads

Deixe um comentário

Arquivado em ARTIGOS, NOTÍCIAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s